segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

A bactéria indestrutível

nova bactériaNovas bactérias podem afetar a vida do homem de maneira drástica

Dizer que o fim da humanidade está próximo, pode parecer um palpite um tanto quanto exagerado, mas diante de tantas ameaças naturais, de guerras, doenças e pobreza, realmente vale parar e pensar no modo de vida que levamos, nosso papel na sociedade e o que podemos fazer para garantir mais dignidade a todos os seres que dividem espaço conosco neste planeta.

Essa introdução aborda de uma forma geral todos os principais problemas que afetam o dia-a-dia do homem, porém essa postagem tem o objetivo de mostrar especificamente uma ameaça que pode dificultar e muito a vida da população de todo o mundo: a ineficácia de antibióticos e o surgimento de bactérias até então, indestrutíveis.

Matérias em noticiários surgiram aos montes quando a
KPC ou superbactéria, começou incomodar e provocar um estado de atenção e medo em todos os hospitais no Brasil por causar infecções as quais, apenas uma combinação de três antibióticos é capaz de minimizar os riscos e tratar a doença. No entanto, agora estão surgindo micro-organismos ainda mais resistentes as medicações disponíveis, e já há profissionais da área dizendo que esse pode ser o fim da era dos antibióticos, como afirma o pesquisador Tim Walsh, da Universidade de Cardiff, chefe da equipe que descobriu essa nova linhagem de bactérias.

Os novos micro-organismos mais fortes são nada mais nada menos que as bactérias E. coli e Salmonella, velhas conhecidas de quem já passou uma infecção intestinal ou problema semelhante. A diferença está em um gene adquiridos por elas, que as tornam capazes de destruírem as moléculas dos antibióticos, entre eles os carbapenemos, os mais eficazes dessa classificação de medicamentos.

Esses pequenos seres vivos tão perigosos ainda são encontrados apenas na Índia, no Paquistão e no Reino Unido, mas um detalhe vem tirando o sono dos cientistas: o perigo delas transferirem o gene para bactérias mais agressivas e se espalharem pelo mundo. Se isso acontecer a muito pouco que se possa fazer para combatê-las, pois não existem remédios contra esse mal.

Uma possibilidade para tentar diminuir essa ameaça é acabar com a auto-medicação, pois o uso indiscriminado de algumas substâncias pode gerar a aparição de seres causadores de doenças, para os quais ainda nosso organismo é algo muito vulnerável. Procure sempre um médico antes de aumentar sua conta na farmácia. Não transforme um simples resfriado ou irritação na garganta em um agravante que facilite o advento das superbactérias. Até a próxima.


Fonte: Revista Superinteressante
Imagem: Portal WebNews

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Faça seu comentário, deixe sua crítica, dúvida ou alguma sugestão.

Os comentários deste blog são moderados.
Não serão aceitos os comentários que façam propagandas (SPAM), que ofendam os autores do blog ou marcas citadas no post.

  ©Template Original por Dicas Blogger

  ©Modificado por Rodolpho Zippo

TOPO